Vai trabalhar nas festas de final de ano? Confira histórias de quem trabalha nestes feriados

Natal Staples
Vida profissional | 23 de dezembro de 2015 |

O período entre o Natal e o Ano Novo é, para muitos, uma época de celebrações, encontros em família e alguns dias de recesso, mas a Staples sabe que não é assim para todos os profissionais. Muitos ficam encarregados de trabalhar durante as festas de final de ano e são surpreendidos por casos bastante inusitados.

Convidamos a médica cardiologista Larissa Duarte para contar algumas das diversas histórias curiosas que já enfrentou durante os plantões. Confira o resultado e divida, você também, sua experiência conosco.

O Natal de 2013

“Geralmente os plantões do dia 24 para o dia 25 de dezembro tendem a ser mais tranquilos, mas não em 2013. Naquele ano vivi uma das situações mais inusitadas da minha carreira como médica. O plantão começou como o esperado: calmo e quase sem pacientes, porém, por volta das 3h, chegou um idoso, vítima de um enfarte. Até aqui nada muito raro – apesar de ser noite de Natal-, o curioso foi o motivo: o paciente havia enfartado no momento em que ganhou um cachorro de presente do seu filho mais velho.

O filho, responsável por acompanhar o pai na ambulância, afirmava que o pai sempre teve o sonho de adotar um animal de estimação e, por isso, resolveu presenteá-lo. Nunca tinha vivido algo do tipo – e, até hoje, nada superou esse motivo. Felizmente, ele sobreviveu e espero que hoje seja muito feliz com o tão sonhado cachorro”, conta.

O Ano Novo de 2011 para 2012

“Ao contrário do Natal, as noites de Ano Novo são mais movimentadas, afinal a data é, geralmente, comemorada com amigos e não com a família. Por isso, há muitos casos de overdose e coma alcoólico. Porém, na madrugada do dia 31 dezembro para o dia 1 de janeiro, além dos casos típicos deste feriado, houve um muito estranho.

Um adolescente ingeriu uma quantidade muito grande de balas ameaçando os pais que iria se suicidar, caso eles não o deixassem ir a uma festa de virada de ano. Os pais sabiam que não eram medicamentos e, portanto, não levaram o jovem a sério. O curioso foi que, pela quantidade excessiva de balas, o garoto passou a ter alucinações e teve que ir às pressas para o hospital. Felizmente, o menino também sobreviveu sem maiores danos, mas este caso também foi um dos mais curiosos da minha carreira”, finaliza.

Trabalhar ao longo do Natal e do Ano Novo pode ser considerado ingrato para alguns, porém muitas profissões são essenciais nesta época. Independente dos feriados, o importante é realizar as funções pré-estipuladas e descobrir que pode ser muito gratificante fazer os famosos plantões festivos.

Continuar Lendo

Recomendados para você

Comentários

Newsletter
Carregando...