Qual o problema com a timidez e como vencê-la no trabalho

1B4A3962[1]
Vida profissional | 24 de novembro de 2015 |

Têm crescido a demanda por cursos que ajudem a desenvolver características individuais no trabalho, como as relações interpessoais, a exposição das suas opiniões e a confiança para se dirigir a clientes ou superiores, por exemplo. Características normalmente associadas a pessoas tímidas. Mas me pergunto qual o problema com a timidez? Acredito que esse não seja um problema ou empecilho no mundo laboral.

Se observarmos os atuais anúncios de vagas vamos, facilmente, encontrar como requisitos básicos dinamismo, pró-atividade e excelentes comunicações verbal e escrita. São características pessoais importantes para diversas áreas, sim, mas que não definem necessariamente a competência de um profissional. Por outro lado, padroniza-se que algumas funções não podem ser exercidas por pessoas tímidas! Um grande erro, em minha opinião. Parece-me que, em graus diferentes e dependendo da situação, todos nós somos tímidos ou retraídos. Afinal, a timidez pode ser um mecanismo de defesa ou uma forma de agir com cautela em situações novas.

Por isso, se seguirmos à risca a tendência dos anúncios de vagas, podemos perder uma qualidade das empresas e equipes de sucesso: a diversidade. É o diferente que equilibra as relações e decisões. Se imaginarmos uma área na qual se acredita que ser expansivo e comunicativo seja uma característica essencial, poderíamos perder a chance de ter opiniões ou reações diferentes e que poderiam ajudar em decisões estratégicas, por exemplo.

De qualquer forma, se houver um profissional que conscientemente se percebe como tímido ou retraído, e quiser desenvolver características mais extrovertidas, como o RH poderá ajudá-lo?

Podemos, como RH, ajuda-lo a entender a necessidade – ou não – deste desenvolvimento em relação à sua realidade no trabalho. Dessa forma, utilizando-se de uma ferramenta de Coaching, por exemplo, e em conjunto com seu líder, podemos auxiliar na construção do objetivo dessa pessoa.

O ritmo e as escolhas para trabalhar a mudança de comportamento serão sempre ditados pelo profissional e a área de Recursos Humanos poderá oferecer ideias de treinamentos.  Pode, também, encorajar a pessoa a exercitar seu aprendizado e mudança no cotidiano da organização. Para isso, o líder do profissional deve acompanhar de perto e traçar esse objetivo na avaliação,  o que pode ajudar muito.

Não acredito em soluções mágicas para uma mudança de conduta e nem que haja uma única maneira de conduzir essa mudança para o resultado esperado. Porém, acredito piamente que todo ser humano é capaz de fazer suas escolhas, responsabilizar-se por elas e atingir seu objetivo.

Na Staples, acreditamos e confiamos que todos são capazes.  Aqui, a diversidade de personalidades e condutas é respeitada e aproveitada. Nosso slogan, Seu Jeito no Trabalho, representa e dá o tom da diversidade interna que temos e queremos. E, por isso, é também nossa filosofia.

Alexandre Fleury

Continuar Lendo

Recomendados para você

Comentários

Newsletter
Carregando...