Mãe, executiva e com carreira em alta

Paula Puppi_post
Vida profissional | 7 de maio de 2015 |

Encontrar um equilíbrio entre a vida profissional e pessoal nem sempre é fácil quando a mulher decide se tornar mãe.  Existe o temor que o período de licença acabe se tornando um entrave para a carreira e, em muitas famílias, ainda existe a cultura de que a vida da porta de casa para dentro deve ganhar prioridade a partir da chegada de um novo integrante. Este não foi o caso de Paula Puppi, 40, workaholic assumida que vive uma ascensão profissional desde que se tornou mãe de gêmeos.

A chegada das crianças aconteceu em um momento chave para Paula, que hoje é sócia e CEO (presidente-executiva) da agência de marketing digital Blinks. Há 10 anos, a executiva formada em engenharia trabalhava no setor imobiliário e o marido decidiu estudar fora do país para fazer um curso de MBA. Foi a hora de realizar o sonho de ser mãe e que, ao mesmo tempo, acabou sendo responsável por uma guinada em sua carreira. “Eu acho que o segredo da história é a parceria. Pensei em aproveitar o momento de estudo dele para parar de trabalhar e virar mãe”, diz.

Ao voltar para o Brasil, decidiu mudar de área profissional graças a um “encontro de afinidades”. Rogério Silberberg, um amigo de infância e fundador da agência F.biz a chamou para trabalhar na agência. O ano era 2005 e os filhos tinham apenas um ano. “Fui chamada para tocar uma área técnica [search marketing] que exigia uma cabeça um pouco mais analítica. Em duas semanas, eu já estava de cabeça, corpo e alma dentro da agência”, relembra. O sonho de ficar dois anos junto aos filhos acabou adiado e Paula fez uma imersão no mundo da internet.

“Eu entrei em uma agência digital muito por acidente, para ajudar a criar essa área. Comecei a estudar muito, que é um pouco do meu perfil, e percebi uma lacuna no mercado”, conta. Ao adotar essa estratégia, Paula já colocava por terra o mito de que mães voltam da licença maternidade desatualizadas em razão do dinamismo do mercado de trabalho. “As mulheres hoje voltam com um gás muito grande, com mais vontade, objetividade e fazem o tempo render”, diz.

Para acumular mais bagagem no setor, Paula mudou de empresa e passou a gerenciar a área de target e performance da Microsoft. Mas foi por pouco tempo. De acordo como os filhos iam crescendo, Paula já projetava um novo passo em sua carreira: o empreendedorismo e a criação da agência digital Blinks junto com Rogério Silberberg, o amigo que a convidou para assumir a vaga na F.biz.

Desde 2011, ela comanda a empresa e ao longo desse tempo também aprendeu a abrir espaço a outras mães: elas são donas de metade dos seis cargos de diretoria. Para isso, a empresa também teve que se adaptar. “A gente tem uma rede de suporte interno muito interessante para quando o filho de alguém precisa ser buscado na escola ou alguém precisa sair mais cedo”, explica.

Ao analisar sua trajetória, Paula diz que alcançar um equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional é possível quando se coloca o prazer de viver em primeiro plano. Isso, segundo ela é uma questão de “e”, não de “ou”. “Ficar em casa não me deixaria feliz e enlouqueceria meus filhos. O que me faz bem é trabalhar e estar em casa. Assim, você fica mais feliz durante o tempo que está com seus filhos porque também está realizada no mercado de trabalho”, conclui.

Continuar Lendo

Recomendados para você

Comentários

Newsletter
Carregando...