Leitores comentam como conciliar as metas de leitura com o trabalho

leitores-comentam-como-conciliar-as-metas-de-leitura-com-o-trabalho
Vida profissional | 10 de dezembro de 2015 |

Dezembro é, tradicionalmente, aquele mês que estipulamos metas a serem cumpridas ao longo do próximo ano. Estudar mais, trocar de trabalho, abrir o próprio negócio, ter mais tempo para o lazer e, porque não, metas de leitura. Por isso, criamos um especial onde vamos falar sobre objetivos alcançados, objetivos reais a seguir e etc. Em nosso primeiro texto do #EspecialMetas convidamos leitores para comentar como conciliar o trabalho com as metas de leitura. Confira o resultado:

Mariana Libório: entre os números e as palavras

Mariana se define como quem contraria os padrões. Formada em Engenharia Química, ela admite que as pessoas se espantam com o tamanho do seu amor pelos livros: “O que eu mais ouço é ‘nossa, você é engenheira e gosta de ler?’. Aparentemente isso não faz muito sentido, mas, na verdade, eu não gosto de ler, eu amo. Por isso institui, ano passado, as metas de leitura em minha vida”, explica.

Desde então a engenheira tem uma rotina diária de leitura e afirma que é possível sim conciliar todas as atividades: “Eu, por exemplo, trabalho, estudo, tenho minha vida social e ainda leio todos os dias. Basta otimizar o tempo. Durante a semana eu leio no transporte público e também antes de dormir, já nos finais de semana confesso que fico muitas horas lendo. Funciona como uma diversão para mim”.

De acordo com Mariana, cada pessoa deve estipular uma meta realista e que se encaixe nas atividades. “Não tem como eu me propor a ler 100 livros por ano, eu sei que não vou ter tempo hábil. Por isso, em 2015, minha meta foi de 60 livros, já estou com 55 lidos – dos mais variados gêneros-, então acredito que vou conseguir cumpri-la. Para 2016 pretendo aumentá-la, quem sabe 65”, diz.

Para Gabriela Colicigno, leitura envolve hobbie e profissão

Formada em Jornalismo, a leitura foi para Gabriela a grande motivação para escolher este curso. Por isso, além do estágio, ela também concilia blogs e canais de vídeo no YouTube para falar sobre literatura – especialmente nerd. “Bom, eu sempre gostei de ler muito. Muito mesmo. E agora com parceria com pelo menos cinco editoras no blog mais o canal de livros no YouTube, recebo mais de 10 livros por mês. Nem tudo o que eu leio, resenho, mas com certeza é legal compartilhar o que eu li com outras pessoas”, conta.

Por isso, desde o começo do ano ela estipulou uma meta – realista, segundo ela – de leitura: 40. “No fim do ano passado, resolvi contar quantos livros tinha lido. Foram cerca de 28 livros, se não esqueci de nenhum. Em anos anteriores já tenha passado de 60, quando era adolescente”, relembrando o período em que não trabalhava, evidentemente. Então, como conciliar?

“No primeiro semestre de 2015, estava desempregada e cheguei a ler dois livros em um dia, mas conciliava com o mestrado. Agora, com trabalho, mas mestrado trancado, costumo ler no transporte público todos os dias”, explica. Por isso, a meta é chegar aos 45 no próximo ano. “Acho que para escrever os livros que quero na vida, é melhor ter lido o máximo que puder também. Quero ser escritora porque gosto desse universo e quero fazer parte dele”.

A dificuldade de encontrar metas realistas de Tainan Pimenta

Ao contrário de Mariana, a turismóloga Tainan Pimenta não conseguiu bater suas metas de leitura. De acordo com ela, uma de suas maiores dificuldades foi encontrar uma meta realista e se entregar aos livros: “Acredito eu que minha história com os livros é um pouco diferente. Nunca fui apaixonada por eles, sempre encarei como uma obrigação, porém eu sei o quão importante é ler. Exatamente por isso comecei a estipular metas, para me desafiar mesmo”, relata.

No entanto, a primeira tentativa não foi bem sucedida. “Eu só consegui encaixar o trabalho com a leitura, pois eu lia no transporte público, na hora do almoço e também antes de dormir, o grande problema mesmo foi a meta estipulada: 80 livros em um ano. Acho que por eu não amar ler, isso também dificultou um pouco”, elenca Tainan.

A turismóloga afirma que até o momento leu 50 livros, apesar de estar distante da meta, ela não pretende abandoná-la: “Sei que será quase impossível conseguir cumprir a meta neste ano, mas continuo lendo – nem que seja um capítulo por dia. Para 2016 eu pretendo estipular uma meta realista. Com um parâmetro, acredito que seja mais fácil”, finaliza.

Continuar Lendo

Recomendados para você

Comentários

Newsletter
Carregando...