É chegada a hora de valorizar a experiência

capa expe
Vida profissional | 25 de maio de 2016 |

Inspirados em uma ação de uma lavanderia americana, em 2012, que lavava e passava roupas gratuitamente para clientes desempregados, que iriam fazer uma entrevista, passamos a oferecer, no Brasil e na Argentina, impressão de currículos também de forma gratuita.

Nada mais coerente e justo em tempos de crise e incertezas para uma empresa que possui o slogan de “seu jeito no trabalho”.

Apesar de divulgarmos em nossas redes sociais, não esperávamos uma reação maior do que uma ajuda para a comunidade ao redor do nosso único endereço físico, na Avenida Paulista, coração de São Paulo.

Minha surpresa foi a repercussão que as notas, divulgadas na Veja SP e Catraca Livre, tiveram nas redes sociais. Milhares de reações e compartilhamentos que endossam um fato: chegamos à era da experiência e do relacionamento.

A experiência com o motorista do taxi que devolveu o equipamento esquecido no banco traseiro, e teve seu serviço divulgado nas redes, o caso do Rei do Iphone, que não cobrou por um serviço simples, enquanto um concorrente tentou cobrar quase R$200 e teve o movimento na sua loja quase multiplicado por 10, e a viralização do vídeo de vingança do Reclame Aqui expõe ainda mais essa situação.

Por mais que possamos questionar se vingança é a melhor forma de tratar, ao vermos empresas e prestadores de serviços (independente do tamanho) sendo valorizados e expostos positivamente pelo simples fato de fazerem o justo e de forma humanitária, reforça o fato de que, do outro lado existe um cliente, e o que ele acha e quer precisa, urgentemente, ser ouvido.

Em tempos difíceis da economia, é claro que o preço se torna, ainda mais, um fator de decisão. Porém cada vez mais a maturidade de um mercado, e a percepção dos clusters de clientes, faz com que a percepção do “barato que sai caro” se torne ainda mais evidente, e o processo de compra passe, então, a considerar também a credibilidade, reputação, o atendimento, as indicações, o boca a boca, e, de maneira geral, a experiência.

 

Rafael Seferian

Continuar Lendo

Recomendados para você

Comentários

Newsletter
Carregando...