Corrupção e Compliance: Como isto afeta você e o seu negócio?

CAPA CORRUPÇÃO
Vida profissional | 5 de agosto de 2016 |

Ultimamente, ao ligar a TV ou o radio, ou até mesmo ao abrir sites de notícias, uma coisa é certa: você vai escutar a palavra corrupção muitas vezes.

E você pode se perguntar o que isto importa para sua vida e para o seu negócio.

Segundo relatório do Fundo Monetário Internacional, a corrupção custa quase R$ 7 trilhões por ano à economia mundial.  Para se ter uma comparação, este número é maior que o PIB brasileiro de 2015, que ficou em R$ 5,9 trilhões.

E, aqui no Brasil, a corrupção desvia dos cofres públicos algo em torno de R$ 200 bilhões por ano, de acordo com o Ministério Público Federal.

Este grande mal que é a corrupção causa desequilíbrios econômicos e tem impactos na estabilidade financeira e na produtividade do país.  Sem falar no aumento considerável do custo Brasil. Todos estes recursos desviados do país poderiam ser empregados no desenvolvimento social e, consequentemente, gerando mais oportunidades e crescimento de negócios.

Então, a corrupção afeta você enquanto cidadão e afeta o seu negócio diretamente, e muito mais do que se pode imaginar.

E como fazer para combater estas práticas, começando pelo seu negócio?

Muito se tem discutido sobre a “palavrinha da moda”.  É compliance para lá e pra cá, como se fosse a salvação do mundo, diante deste cenário de corrupção mencionados.

Compliance significa estar em conformidade com as leis, regulamentos, processos. É o mecanismo de controle da conformidade de uma empresa com os processos, procedimentos e leis à que sua atividade esteja relacionada.

E em que a corrupção está relacionada com o compliance?

Imagine-se uma indústria onde houve uma fraude aos direitos trabalhistas. Quando realizada uma inspeção de rotina, o fiscal do ministério do trabalho rapidamente descobre e aplica uma penalidade para a empresa. E as multas são altas e multiplicadas pelo número de funcionários em situação irregular.

Já podemos imaginar que isto vai impactar o fluxo de caixa da empresa, podendo comprometer inclusive salários e empregos.

Se houvesse uma área ou um profissional de compliance, a empresa seria corretamente orientada para a prevenção deste risco, que pode, algumas vezes, ser por mero desconhecimento da lei.

E, imagine-se ainda, se um mesmo funcionário desta empresa, no momento da mencionada fiscalização, resolve oferecer um suborno para o fiscal, para que o mesmo não lavre a autuação. Ele está expondo a empresa e os seus dirigentes pela prática de corrupção e pode nem ter completa noção do mal que está causando.

Situações como esta podem e devem ser evitadas através de treinamentos e diretrizes claras do empregador. Empresas pequenas, médias ou grandes, estão sujeitas aos mesmos desafios.

A área de compliance (que pode ser uma única pessoa em estruturas menores) é justamente o instrumento para a educação corporativa e para a construção de mecanismos de proteção e controle.

Não precisa ser complexo nem burocrático.  Só precisa ser efetivo: ser comunicado, ter o envolvimento da direção da empresa, ser conhecido por todos e ter mecanismos de denúncias sem retaliação.

A Transparência Internacional divulgou relatório em 2009, muito antes de todos estes casos atuais, no qual se verificou que, nas empresas com programas anticorrupção e normas éticas existe uma diminuição de até 50% de incidentes de corrupção. Além disto, tais empresas têm menos chances de perder oportunidades de negócios comparadas com as que não possuem estes programas.

E, para pequenos negócios e empreendedores individuais, como não existem ou contam com um número bem reduzido de empregados, é importante da mesma forma conhecer o que as demais empresas estão praticando, visto que fazem negócios com elas. E também um diferencial competitivo a elaboração de suas diretrizes de compliance, ainda que de poucas linhas, demonstrando transparência em seus negócios.

Se todos os setores compreenderem a importância de se realizarem negócios com ética e transparência, caminharemos para uma sociedade mais fortalecida e construiremos um país melhor.

Portanto, a corrupção pode afetar o seu negócio e o compliance pode estar presente para ajudar. Vamos espalhar esta ideia!

 

Roberta Codignoto

Head of Legal & Compliance Latam

Foto Rosto 2016

 

Continuar Lendo

Recomendados para você

Comentários

Newsletter
Carregando...